Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

girl on film

31
Jan19

Opinião ▪ Beautiful Boy | Felix van Groeningen. 2018

desktop-wallpaper-1.png

 

Em adolescente, a viver em São Francisco, Nic Sheff (Timothée Chalamet) tornou-se viciado em drogas e a sua família, especialmente o seu pai David (Steve Carell) tenta tudo para ajudar o filho mas é muito difícil ajudar alguém que não quer ser ajudado. Baseado numa história verídica e nas memórias de pai e filho, Beautiful Boy: A Father's Journey Through His Son's Addiction, de David Sheff, e Tweak: Growing Up on Methamphetamines, de Nic Sheff, o filme do belga Felix Van Groeningen é baseado nos dois livros mas, o realizador optou por abordar mais a vertente emotiva do sofrimento do que mostrar a miséria do vício. Em momento algum do filme há o recurso directo ou culpabilização às drogas em si. Nic recorre às drogas porque gosta, porque perante o tédio e opção própria, experimentou, gostou e tornou-se viciado.  

 

O filme está muito longe de ser perfeito. A cronologia é complicada, o recurso constante a flashbacks é até irritante. Até a banda sonora tem problemas. Há muita música e até música boa mas nem sempre é bem usada. Se tinha como intuito definir o tom da narrativa ou impulsionar a bagagem emocional do filme, acaba por ter o uso contrário.  

 

MV5BODQxYWJkYzItM2EwNC00MWQxLTg3YTEtOGI4OTkyMWM2NW

MV5BMjQ5NTAxNjUwOF5BMl5BanBnXkFtZTgwNDY3NTk3NTM@._

MV5BNThlMTE2NzQtNWVjOC00Nzg0LThkNzMtNjBlNjY5ZjllNz

 

As personagens de Chalamet e sobretudo de Carrel, são frias mas ao mesmo tempo são emocionais, no entanto, também elas têm problemas. Apesar de ser o melhor do filme, num ou noutro momento, quando Carell encarna o papel de pai irritado, há semelhanças a Michael Scott, a sua personagem no The Office e Chalamet, com o seu ar jovem, virginal e simpático, faz com que o espectador tenha alguma dificuldade em vê-lo como um toxicodependente. É em todos os momentos um menino rico, mimado e limpo, a quem só faltou umas férias numa vila italiana (cenário principal de Call Me by Your Name). 

Se os 120 minutos de Beautiful Boy tivessem todos a mesma intensidade e emotividade como a parte final do filme - em que assistimos à degradação máxima do filho e à recusa de mais auxilio por parte do pai - tudo teria sido muito melhor e sobretudo, mais intenso. 

 

MV5BMzA1OTI5NTQ2OF5BMl5BanBnXkFtZTgwNjE5MDI0NjM@._

When I discovered drugs my world went from black and white to technicolor.

I can never give that up. So I tell people what they want to hear.

 

 

Título nacional: Beautiful Boy
Data de estreia (Portugal): 29.11.2018

Trailer:

Contacto

Sofia Santos: agirlonfilm@sapo.pt // blog.girl.on.film@gmail.com

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

feira das vaidades

planeta pop + girl on film

Soundtrack by Girl On Film on Mixcloud

A outra casa

Em destaque no SAPO Blogs
pub